quinta-feira, agosto 07, 2008

Record decide monopolizar Olimpíada de 2012

A direção da Record não desperdiça uma oportunidade sequer de criticar a Globo por "monopólio", mas hoje decidiu não dividir com a concorrente ou com qualquer outra emissora aberta os direitos de transmissão da Olimpíada de 2012, em Londres. Dessa forma, quem não tem acesso a canais por assinatura e quiser assistir às competições terá que se contentar com uma única cobertura, a da Record.

A medida contraria comunicado à imprensa divulgado pela própria rede em março deste ano, no qual anunciava sua recusa de participar do processo de compra do Campeonato Brasileiro. "A Record considera que esse sistema de comercialização, (sic) divorcia-se do entendimento em relação à forma de divisão dos direitos de propriedade e sobretudo do direito de preferência que inviabiliza quaisquer emissoras em concorrer em condições de igualdade com a atual detentora, diminuindo assim a importância do papel da divulgação do esporte na sociedade".

Agora que pagou US$ 60 milhões pela Olimpíada de Londres e começa a ver a audiência da Globo e da Band aumentar com a exibição dos jogos de Pequim, instantaneamente passou a desconsiderar "a importância do papel da divulgação do esporte na sociedade". Este é mais um sinal de que, se alcançar a tão almejada liderança, a Record repetirá os mesmos erros que reputa à concorrente. Ou melhor, já está repetindo.

Leia também
Redes iniciam transmissão da Olimpíada de Pequim
Direitos do Brasileirão: Globo vence Record por W.O.
Record compra direitos das olimpíadas de 2010 e 2012

6 comentários:

Alex Teixeira disse...

Infelizmente é um atitude absurda monopolizar a Olimpíada de Londres! Será que a Record tem 100% da cobertura nacional para garantir a trasmissão para todos os brasileiros? Não tem! Muitas cidades que não possuem o sinal da Record não terão a chance de assitir as competições. A Rede Globo errou uma vez com a Copa do Mundo e a Record não pode cometer o mesmo erro. Lamentável!

Vini.cius disse...

Concordo com o Alex teixeira. A área de alcance da Record é muito pequeno. Eu, por exemplo, moro no interior do Rio Grande do Sul. Canais de tv aberta? Somente RBS TV (afiliada Rede Globo). Sorte que existe a parabólica, porém essa é uma tecnologia a qual muitos não tem acesso ainda.

Raphael disse...

O pior é que a Record não pretende revender as transmissões para quem se habilitar, como fez a Globo nestas Olipíadas, tendo a Bandeirantes comprado os direitos para também transmitir. Monopólios são péssimos, principalmente quando excluem parcelas de pessoas que não dispõe de sinal em seu município, como é o caso da Record em inúmeras regiões do nosso país. Isto deveria ser levado em conta na hora de ser realizada a venda dos direitos. Caso a emissora não tivesse seu sinal em todas as localidades, deveria ser obrigada a dispor deste sinal (revendendo-o) para a concorrente que atuasse naquela área, com esta medida não haveria exclusões. Temos que lembrar que a concessão da televisão aberta é pública e existem requisitos que DEVERIAM ser cumpridos. Na TV paga nada se pode reclamar quanto a isto, haja vista ter regras específicas totalmente diferenciadas quanto a liberdade de comercialização. Uma lástima saber que nada se faz contra estes abusos.
Parabéns para este excelente blog, um dos melhores do gênero (The Best!), já o coloquei como um dos meus favoritos.

Anônimo disse...

FORA RECORD!

Anônimo disse...

FORA RECORD!

Para boi dormir disse...

O simbolo da Record lembra o da VIVENDI Universal, a maior empresa de entretenimento do mundo...a Globo a Sony BMG, o SBT a Warner, a BAND, a TV inglesa e por ai vai...