Há tempos a Record tenta descolar sua imagem da Igreja Universal do Reino de Deus. Alardeia, sobretudo, que seu jornalismo é independente. Mas hoje a rede deu uma prova de que a realidade que esconde é bem diferente dos anúncios que expõe. Na edição desta noite do Domingo Espetacular, mais de 14 minutos foram cedidos à Universal para que intimidasse jornais e jornalistas [veja nos vídeos abaixo, em preto e branco].

"Reportagem" de Afonso Monaco visava incentivar seguidores da igreja a entrar com ações na Justiça contra O Globo, Folha de S.Paulo e a jornalista Elvira Lobato (da FSP). Desde dezembro, quando a Folha publicou texto sobre os 30 anos da Iurd, 56 fiéis e pastores já exigiram indenização por danos morais. Segundo o Domingo Espetacular, todos se sentiram ofendidos com a suposição de que o dinheiro do dízimo seja usado para erguer um império de telecomunicações.

A mulher de um corretor de imóveis apareceu nas imagens simulando choro (não havia lágrimas). Motivo: teria ficado "assustada" e "ofendida" com o uso pelo Globo da palavra "seita" para designar a Universal. O casal disse pretender processar o jornal e a reportagem admitiu que a igreja oferece "orientação jurídica" a pessoas como eles, "para ver se dá um basta nesse negócio".

Os textos das 56 ações são muito parecidos, com trechos idênticos, o que dá indícios de um movimento orquestrado. Afonso Monaco afirmou que "a previsão é de que mais ações sejam iniciadas na próxima semana", sem esclarecer a fonte desta informação — provavelmente a Iurd.

O Domingo Espetacular ainda ironizou a ausência da jornalista Elvira Lobato "na maioria das audiências". Só não informou que muitas estavam marcadas para o mesmo dia, em estados diferentes. "Este fato pode significar desrespeito à Justiça", interpretou o repórter. Monaco não ouviu sequer uma pessoa contrária ao movimento, um princípio básico do jornalismo.

Ele, alías, concluiu a reportagem pregando que "evangélicos encontraram na Justiça uma arma de defesa contra o preconceito religioso de parte da imprensa". Seria correto se afirmasse que a Universal encontrou na Record uma arma para fazer propaganda e intimidar jornalistas.





Leia mais
Artistas de tevê usam blogs para expor vida pessoal
Big Brother Brasil: tudo igual, pela 8ª vez?
Na estréia de Patrícia Poeta, Fantástico muda pouco

7 comentários:

Luana disse...

Cuidado para não serem processados também. hihihihihi!

bwfq disse...

eu acho isso ai correto mesmo enquanto não dermos uma resposta pra eles eles vão achar que somos bobos. ninguem pode falar mal do que não conhece.
muita gente fala mal da igreja universal por que ouve os outros falarem mal.
conheço mais 30 mil so daqui da cidade onde eu moro que estão revoltado e são contra a estas acusação.
sou a favor sim.
eu tambem não aceito ser insultado. ser chamado de malandro, alienado poxa pessoal vamos usar a nossa inteligencia.

Anônimo disse...

Gostei bastante da reportagem, só faltou dizer mais verdades sobre a IURD...
Não sei como há tanta gente tão xxxxxxxxx, ou de xxx xxxxxxx que "gosta" dessa seita!

gugations disse...

A maioria dos brasileiros são católicos
Se todos nós católicos,resolvessêmos a alguns anos atras, quando um bispo da Igreja Unversal chutou Nossa Senhora na TV, processá-los??Imaginem se resolvessemos nós católicos procesarmos a todos que nos acusam de tantas coisas, inclusive muitas igrejas ditas evangelicas,certamente ficariamos milionarios.
VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO!!!
CADA VEZ MAIS REPRIMIDA.

mcleao disse...

Bem colocado! Tudo isso não passa de vaidade mesmo. No lugar de pregar o amor, vivem entre discórdias e fofocas. Não fogem de escândalos, como recomenda a própria Bíblia. De evangélico esse comportamento não tem nada, pois convivo com alguns e sei que teriam uma reação completamente diferente.
Estou com você: VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO!!!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
aracatubense disse...

Poxa vida que exemplo de "imparcialidade" vc acreditária nesse tipo de jornalismo.