terça-feira, junho 03, 2008

Fim de Caminhos prejudica estréia de Favorita

A Record comprou a briga: mudou o horário do último capítulo de sua novela de maior audiência na tentativa de enfraquecer a estréia da novela de maior audiência da Globo. E conseguiu. O desfecho de Caminhos do Coração, trama que entrava no ar às 22h, passou às 20h40, horário em que começava a exibição do primeiro capítulo de A Favorita.

Resultado: na medição preliminar do Ibope, A Favorita teve a pior estréia de uma novela das 21h da história da Globo, com média de 35 pontos, cinco a menos que a da segunda pior, Duas Caras. Caminhos do Coração, por sua vez, registrou 22 pontos, a segunda melhor audiência de uma trama da Record, atrás dos 25 de Vidas Opostas.

Hoje, estréia a continuação de Caminhos do Coração, Os Mutantes, também às 20h40. A mudança de horário mostra que a Record está disposta a usar as mesmas armas da concorrente que mais critica, o SBT. Alterações repentinas na grade têm se tornado freqüentes na rede do bispo Macedo, desrespeitando os espectadores que acompanham os programas.

Esta postagem foi sugerida pelo leitor Alex Teixeira.

Mais sobre audiência
Globo domina ranking das 20 atrações mais vistas
Duas Caras: audiência do capítulo final decepciona

6 comentários:

Vini.cius disse...

Mas tmb ainda não foi criada novela com mais divulgação que essa Caminhos do Coração. A cada programa é entrevista com o elenco, de uma fora q cansa. Apesar de tudo isso, não me importa, não gosto de novela, e vejo q está difícil programação de qualidade para quem não gosta desse tipo de programação.

teve aberta disse...

É verdade, Vinicius. A Record aposta tudo nessa novela, a ponto de parecer a única da emissora. Vamos falar disso numa análise de Caminhos do Coração, agora Os Mutantes. Até!

Alex Teixeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Hügen disse...

"Revolucionando a teledramaturgia brasileira"? "Teledramaturgia empolgante"? de que produto televisivo e de que país o leitor Alex está se referindo? Com certeza desta colcha de retalhos apelativo que é "Caminhos" e agora "Mutantes" não é. Não sei porque aqui no Brasil existe esta cultura de tentar denegrir e odiar o que dá certo. É incrível isso. Qualquer país do mundo teria o maior orgulho de ter uma emissora tão profissional e de tanta qualidade como a Globo. E é por esta razão que os ingleses se interessaram em pesquisar o segredo do sucesso da Globo. Copio aqui trechos de uma matéria feita pelo jornal inglês Finantial Times que tenta através de pesquisa descobrir a estratégia vencedora da Globo nestes 30 anos:
Sob o título TV Globo mantém estratégia vencedora há trinta anos, o jornal analisa como a emissora brasileira mantém uma estratégia vencedora na sua grade de programação. O Finantial Times comenta:"Como dizem no Brasil louco pelo futebol, em time que está ganhando não se mexe. A Rede Globo, a maior rede de televisão do Brasil e a quarta do mundo, leva o ditado a sério...."
finalizando o jornal inglês diz que a TV Record tem conseguido roubar parte da audiência da rival com sua "fórmula vencedora" que simplesmente é COPIAR A GLOBO!
Duas coisas são reconhecidas na pesquisa. A primeira que a Globo é considerada a QUARTA melhor televisão do mundo. E a outra que, para tentar a tão almejada audiência, a única fórmula mágica que as adversárias conhecem é a CÓPIA. Só que existe um senso comum que na verdade é uma premissa: Entre a cópia e o original, prefere-se o original.
Não seria muito melhor tentar fazer uma televisão própria, com características só suas? Seria melhor para todos nós que teríamos mais qualidade e mais opções.

Alex Teixeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
teve aberta disse...

Alex e Eduardo, esse é um bom tema para debate, mas as opiniões devem ser dadas sem que se desmereça a visão do outro.
É curioso que cada um representa um tipo de espectador, num momento em que essa divisão está se tornando mais clara. De um lado, aqueles que valorizam a tradição da Globo. Do outro, aqueles que incentivam uma maior participação de outros canais (em especial a Record).
Essas duas vertentes vão definir o futuro próximo da tevê aberta. Ou melhor, já estão definindo.
O fato é que nem Globo nem Record poderão continuar exatamente como estão. A Globo deve experimentar mais (por exemplo, nas novelas das seis) e a Record, espera-se, vai perceber que precisa trilhar um caminho próprio.
Vamos manter o bom debate!