quinta-feira, maio 22, 2008

SBT privilegia velharias e esconde novidades

Os fins de noite das quartas-feiras são dominados por programas jornalísticos no SBT. Às 22h45, entra no ar o SBT Repórter; às 23h45, o SBT Realidade. Duas atrações com formatos idênticos, mas bem diferentes uma da outra.

O SBT Repórter parece apenas tapar um buraco na programação. Afinal, que outro motivo a rede teria para manter no ar um programa que nem sequer conta com equipe de repórteres?

Na edição de ontem, exibiu-se reportagem sobre Hong Kong de pelo menos oito anos atrás. Pior: o espectador não foi avisado de que assistia a uma matéria cujas informações estão ultrapassadas. Somente a presença de Marília Gabriela como repórter indicava que trata-se de uma velharia.

Você procuraria notícias sobre um país num jornal ou revista publicado antes do ano 2000? O SBT pensa que sim, mas por via das dúvidas esconde a data da publicação. A narração antiqüada de César Filho aumenta o cheiro de naftalina que exala do televisor.

A permanência do SBT Repórter na grade torna-se ainda mais difícil de ser explicada quado entra no ar o SBT Realidade, este sim com equipe de repórteres (e das boas). Contratada em 2005 pela emissora, Ana Paula Padrão hoje edita e apresenta o jornalístico.

Muita gente acredita que a ex-âncora do Jornal da Globo está na geladeira. Com razão: aparece tão tarde que está praticamente escondida na grade. Mas quem agüenta esperar o fim do SBT Repórter não se arrepende.

O SBT Realidade informa (informações novas, enfim) e consegue emocionar com a narrativa sensível, o texto certeiro e as belas imagens de Ana Paula e sua equipe. Fazer o quê se a emissora prefere velharias a novidades?

Leia também
Ana Paula Padrão anuncia que deixará o SBT Brasil

2 comentários:

Mel disse...

saiu uma nota falando sobre a matéria da marília gabriela hoje na folha. lê só.

Vini.cius disse...

Pois é. Gosto muito da Ana Paula Padrão desde a época dela no Jornal da Globo, pena que o programa dela é "atirado" na noite. Ela é uma das melhores jornalistas no Brasil, na minha opinião.